Hipertensão

 

Causas

 

Sinais e sintomas

 

Complicações

 

Tratamento

 

Prevenção

 

 

 

Hipertensão

 

O que é pressão arterial?

A pressão arterial é resultante do fluxo de sangue bombeado pelo coração nas artérias após a contração do ventrículo esquerdo (a parte do coração que impulsiona o sangue para os tecidos do corpo) e da resistência que esses tecidos oferecem a este fluxo.

 

O que é hipertensão?

Hipertensão arterial sistêmica é o nome técnico da doença conhecida como “pressão alta”. É uma doença crônica, causada pelo aumento da pressão medida na circulação sistêmica, isto é, da circulação do coração para os tecidos do corpo. Esse aumento tem várias causas e, na maioria dos adultos, não conseguimos identificar uma causa específica para o início da hipertensão. O controle da pressão precisa ser feito freqüentemente, porque a doença muitas vezes não apresenta sintomas. Uma pessoa com pressão alta pode não sentir nada de diferente do normal. No entanto, a hipertensão precisa ser controlada para evitar complicações como infarto, derrame, alterações nos rins, entre outras.

 

Conhecendo melhor a hipertensão

Quando a pressão arterial é medida, dois números são anotados: um representa a pressão arterial sistólica (o número maior) e o outro, a pressão arterial diastólica (o número menor). Ambas são importantes. Geralmente elas são escritas separadas por "/" ou por "x", uma acima ou antes da outra, como 120/80 mmHg.

 

A pressão sistólica é medida quando o sangue passa através dos vasos, sendo o ponto máximo de pressão durante o ciclo cardíaco. A pressão diastólica é a pressão medida após o pulso de sangue, sendo o ponto mínimo de pressão arterial durante o ciclo cardíaco. A pressão arterial muda durante o dia. Ela é menor quando você dorme e aumenta quando acorda. A pressão também se eleva quando você está ativo fisicamente ou nervoso.
Como saber se tenho hipertensão?

 

Sabemos que valores = 140x90 indicam que a pressão está anormalmente elevada. Entretanto, vários fatores podem influenciar esta medida, tais como estado emocional, ingestão de substâncias que elevam a pressão, qualidade do aparelho de medição, posição sentada/deitada ou em pé, etc. Dessa forma, o diagnóstico de hipertensão deve ser realizado por um médico.

 

Com a pressão arterial alta, o coração fica sobrecarregado, suas artérias correm o risco de serem lesadas pelo aumento do atrito de fluxo de sangue em suas paredes e aumentam as chances de infarto do coração, derrame cerebral, problemas nos rins e nos olhos. Por isso são importantes os exames médicos periódicos.

 

Causas

O que causa a hipertensão?

Na grande maioria dos casos (cerca de 90%) a causa da hipertensão arterial é designada como essencial idiopática (sem causa conhecida). Entretanto, alguns fatores podem agravá-la e podem precipitar seu aparecimento. Identificá-los a tempo pode facilitar um controle mais adequado da pressão e reduzir as chances de complicações.

 

Excesso de peso

A obesidade é uma doença causada pelo acúmulo excessivo de gordura corporal, provocado por excessos na alimentação e estilo de vida sedentário. O excesso de peso provoca sobrecarga cardíaca, pois diminui o fluxo de sangue para os tecidos, causando o aumento da pressão como um mecanismo de compensação. Para reverter um quadro de obesidade, devemos controlar a nossa alimentação e praticar atividades físicas, sempre com orientação do médico e/ou nutricionista.

 

Tabagismo

Algumas substâncias encontradas no cigarro causam diminuição na elasticidade das paredes das artérias, outras são estimulantes, outras, ainda, causam diminuição no calibre dos vasos sanguíneos. Por qualquer desses motivos, o cigarro é um dos causadores do aumento da pressão arterial. Por isso, se você fuma, está na hora de pensar o mal que esse hábito causa à sua saúde e à saúde das pessoas que estão à sua volta. Caso queira parar e tenha dificuldades, procure ajuda médica especializada.

 

Hereditariedade

Se você tiver algum parente próximo (pais, irmãos) que tem ou teve pressão alta, isso aumenta as suas chances de desenvolver a doença. Por isso, é importante que você procure um médico e fale a respeito.

 

Sedentarismo

A falta de atividade física acarreta menor consumo energético (tendo como possível conseqüência a obesidade) e a falta de condicionamento físico. Com menor preparo físico, a pressão arterial tende a ser mais alta do que a de indivíduos ativos. Por isso, a prática regular de exercícios físicos (desde que não apresente contra-indicação médica) é muito importante. Você deve se exercitar por no mínimo 30 minutos, diariamente. Entretanto, algumas mudanças no seu dia-a-dia, como ir trabalhar a pé, levar o cachorro para passear e usar a escada, também podem ajudá-lo.

 

Estresse

O excesso de compromissos do dia-a-dia, o cansaço excessivo e a irritabilidade nos levam ao desgaste emocional. Com isso, o organismo acaba ficando mais sensível, o que pode favorecer o aparecimento de várias doenças. Portanto, procure levar a vida com mais calma e tranqüilidade, aprendendo a enfrentar o estresse de maneira mais positiva.

 

Excesso de sal

O sal, que é indispensável para a saúde, em excesso pode causar o aumento da pressão em pessoas com maior tendência a essa alteração. Portanto, diminuir o sal da comida é um modo de controlar a sua pressão e não se tornar hipertenso. De modo geral, os hipertensos devem consumir apenas 1g de sal por dia (1 tampa de caneta Bic cheia de sal). Consulte seu médico e/ou nutricionista para obter melhores orientações.

 

Drogas e alcoolismo

Além de alterar o comportamento, as drogas e as bebidas alcoólicas elevam a pressão arterial, causam dependência, provocam diversos tipos de doenças e causam problemas sociais e psicológicos. Se você usa drogas, pare! Se não consegue, procure ajuda. Com mais de um drink (uma dose de destilado ou 600ml de cerveja ou uma taça de vinho), sua pressão já aumenta em relação aos níveis de quem não ingere bebidas alcoólicas.

 

 

Sinais e sintomas

Sinais e sintomas da hipertensão

Embora seja uma doença silenciosa, a pessoa portadora da hipertensão pode apresentar um ou mais destes sintomas:

• Dores na nuca.
• Dores de cabeça.
• Dores no peito.
• Visão embaçada.
• Tonturas.
• Sangramento nasal.
• Retenção de líquidos (inchaço).


 


Complicações

Complicações da hipertensão

A hipertensão pode ser responsável por várias complicações de saúde. As mais comuns são:
•  Aceleração da aterosclerose (depósitos gordurosos nas paredes dos vasos sanguíneos).
•  Infarto agudo do miocárdio (infarto do coração).
•  Acidente vascular cerebral (derrame).
•  Diminuição da função renal.
•  Perda da visão.

 

 


Tratamento

 

Tratamento da hipertensão

Por ser uma doença crônica, a hipertensão não tem cura. Mas é possível controlá-la para evitar ou retardar as complicações. Mudanças de hábitos de vida e uso dos medicamentos sob orientação médica são formas de controle.

 

Uso de medicamentos

O tratamento medicamentoso é uma medida importante, que ajuda a reduzir a pressão arterial a fim de evitar complicações e prolongar a vida. O uso dos remédios deve ser contínuo, diário, nas doses e nos horários recomendados pelos profissionais que cuidam da sua saúde. Não deixe de tomar os remédios, mesmo que sua pressão esteja controlada. E jamais tome nenhum medicamento sem indicação médica.

 

 

Prevenção

 

Atividade Física

A vida moderna levou o homem a praticar menos exercícios físicos. A falta de atividades físicas regulares é um importante fator de risco para uma série de doenças, entre elas as cardiopatias. Muitas pessoas acreditam que suas atividades em casa, no trabalho ou mesmo atividades esporádicas (por exemplo, o futebol do final de semana) são suficientes para combater o sedentarismo. Isso é engano! Uma pessoa sedentária é aquela que pratica pouca ou nenhuma atividade física. O sedentarismo eleva em até 40% o risco de desenvolver doença cardíaca.

 

Como fazer?

A primeira dica é que pequenas mudanças de hábitos já fazem a diferença. Inicie os exercícios de maneira gradual, no mínimo 4 vezes por semana, embora o ideal seja 30 minutos de atividades diárias. Alguns preferem se exercitar pela manhã, outros mais tarde. O horário mais adequado é aquele que se adapta melhor à sua rotina diária. Nunca se esqueça de se alimentar pelo menos 2 horas antes do exercício, beber bastante líquido e, em caso de exposição ao sol, aplicar antes um protetor solar.

 

Mude sua rotina

 •  Prefira sempre as escadas ao elevador.
 •  Ao estacionar o carro mantenha-o a alguma distância do local para o qual você se dirige.    Isso permitirá que você caminhe um pouco.
 •  Faça algumas atividades domésticas, como lavar o carro e cuidar do jardim.
 •  Não perca oportunidade de brincar com crianças e levar seu cachorro para passear.
 •  Evite assistir televisão por muito tempo ou passar horas ao computador.
 •  Ande de bicicleta, dance, aumente o ritmo do seu dia-a-dia.

 

 Benefícios da atividade física

 •  Grande sensação de bem-estar.
 •  Redução da depressão.
 •  Alívio do estresse.
 •  Aumento da auto-estima.
 •  Manutenção da autonomia (sua independência quando envelhecer).
 •  Redução da pressão arterial.
 •  Melhora da resistência insulínica.
 •  Melhora da resistência física.
 •  Aumento do HDL (o colesterol bom).
 •  Redução da pressão arterial.
 •  Controle do peso corporal.
 •  Melhora da força muscular.
 •  Aumento da eficiência dos pulmões e da respiração.
 •  Melhora da qualidade do sono e da capacidade de relaxamento.
 •  Aumento da disposição e da resistência para o trabalho.

 

Alimentação

Grande parte das pessoas não sabe como se alimentar corretamente. Cada alimento desempenha uma função em nosso corpo. Dessa forma, não há um único alimento completo e é preciso aumentar a variedade dos alimentos que ingerimos, em quantidades adequadas. A ingestão de quantidades excessivas de gorduras e carboidratos, aliada ao sedentarismo, contribui para o aumento da obesidade, que por sua vez eleva a chance de doenças cardíacas. O índice de massa corporal (IMC) é uma fórmula que utiliza o peso e a altura, e avalia a presença e a gravidade da obesidade.

 

Fórmula de Cálculo do IMC
IMC = Peso(Kg) / Altura²

 

Tabela de classificação:

 

VALOR DO IMC

CLASSIFICAÇÃO

<18,5

Baixo peso

18,5 a 24,9

Normal

25 a 29,9

Sobrepeso

>30

Obesidade

 

 Dicas de alimentação saudável

• Faça pelo menos cinco refeições diárias.
• Fuja das lanchonetes do tipo "fast food".
• Aumente e varie o consumo de frutas, legumes e verduras. Eles reduzem em até 30% as chances de infarto.
• Reduza o consumo de gorduras. Retire a pele do frango e a gordura visível da carne antes do cozimento. Evite frituras, salgadinhos, salsicha, mortadela. Prefira os alimentos cozidos ou assados e evite cozinhar com margarina, gordura vegetal ou manteiga.
• Reduza o consumo de sal e tire o saleiro da mesa. Evite temperos prontos e enlatados.
• Reduza o consumo de doces, bolos, biscoitos e outros alimentos ricos em açúcar.
• Reduza o consumo de álcool e refrigerantes. Prefira água e sucos naturais de frutas.
• Tente fazer as refeições sempre no mesmo horário.
• Aprecie sua refeição, coma devagar, torne-a um momento especial de encontro com familiares e amigos. Não se alimente assistindo televisão ou na frente do computador.

 

Cessação de tabagismo

Estima-se que no Brasil mais de 200.000 mortes/ano sejam decorrentes do tabagismo. Não faça parte dessa estatística: se você é fumante, livre-se o quanto antes desse vício!
É bom lembrar que o indivíduo é considerado fumante quando fumou mais de 100 cigarros ou cinco maços em toda a sua vida e fuma atualmente. O cigarro contém mais de 4.000 substâncias químicas e pelo menos 60 delas já foram reconhecidas como cancerígenas e tóxicas para os pulmões. Além disso, quem fuma aumenta em 200% o risco de ter um derrame e em 300% o risco de ter um ataque cardíaco. O homem fumante vive em média 13 anos a menos do que os não fumantes. A mulher fumante vive em média 15 anos a menos do que as não fumantes. Quanto mais cedo você parar de fumar, maior o ganho de saúde.

 

Algumas dicas podem ajudá-lo, no seu dia-a-dia, a parar de fumar:

 •  Evite tudo o que possa dar vontade de fumar, como café e bebidas alcoólicas.
 •  Após as refeições, levante e deixe a mesa imediatamente.
 •  Elimine objetos que possam lembrar o cigarro, como cinzeiros, isqueiros, etc.
 •  Beba bastante água toda vez que sentir vontade de fumar.
 •  Pratique exercícios físicos.

 

 

 

 

 

Todos Direitos Reservados a Unimed - Medicina Preventiva